Eu também vivi histórias com quem ouvia minhas histórias, as mesmas histórias que agora me expiram. Por isso escrevi essa como homenagem, que cada linha dessa te traga uma imagem, uma lembrança dos nossos melhores anos. <a href="http://www.youtube.com/watch?v=6XYXjX0h8vE#!?hl=en&autoplay=1"><img src="http://www.gtaero.net/ytmusic/play.png" alt="Play" style="border:0px;" /></a>
“Hoje eu acordei feliz, mas foi por pouco tempo, quando me jogaram um “Papo reto” de que o Chorão morreu e hoje não vai ter mais “Céu azul”, como “Tudo deve ser”, nessa vida tudo tem um fim, pois temos “Dias de lutas, dias de glórias. Haverá várias hipóteses sobre sua morte, mas infelizmente tudo tem seu “Preço”, mas o Chorão não era só vícios, tinha “Vícios e virtudes” e quem sabe um dia de um jeito estranho “Ele vai voltar” e “Só por uma noite” eu possa ouvir as músicas que fizeram parte da minha história cantadas por ele, sei que vai ser difícil agora “Longe de você”, pois foi através das músicas do CBJr que eu aprendi a “lutar pelo o que é meu”, mas não a nada a fazer, “Tamo aí na atividade” e como só “Existe o agora”, mesmo assim, meu amor pela banda não irá mudar, pois é como “Pontes indestrutíveis”, pois realmente “só os loucos sabem” como dói essa perda. Portanto, Alexandre Magno Abrão você será eterno, espero que por onde quer que vá, quem sabe em um “Novo mundo”, busque seu “Lugar ao sol” e encontre “Aquela paz” que tanto procuramos.”
Autor Desconhecido

Descobri que se eu for esperar pelo sistema, eu vou ser mais um doido desses que entra atirando no cinema.


“É preciso aprender nessa vida quando se erra e quando se acerta também, quando se perde e quando se ganha…”
Rashid (via rap-em-acao)